Sexta-feira, 19 de Novembro de 2010

      Destino:        

 Sais de casa sorridente com a decisão que tomaste. Limpaste o teu corpo de mágoas passadas e disseste bom dia à incrédula vizinha rezingona. Saltaste as escadas do teu prédio, abriste a porta com paixão e respiraste o novo dia. Choraste em silêncio a felicidade que te corre no sangue. Saltaste a rua, tomaste um café e foste passear pela cidade. Estás feliz com o que vês e sorris a ti mesma aquando a tua visão no espelho. Não sentes mais o odor a channel, sentes o ar da mudança. Sentes o cheiro das folhas caídas, sentes a salvação dada pela vida. Ainda te ecoam as palavras proferidas à médica: "não me sujeitarei a outro tratamento." Sabes que morrerás cedo, mas morrerás com um sorriso na cara por teres vivido. Entras numa loja e compras uma roupa bonita e colorida. Vais ao cabeleireiro fazer as unhas e procurar uma peruca que te assente bem. Eu sorrio-te quando te vês ao espelho. Eu sei que não me vês, mas não importa. Sentes-me. Toda a gente sente o destino, toda a gente sente a mudança corrente no corpo. Sais do salão de sorriso posto.         

            Sais com vontade de viver, de te apaixonares. Eu sinto que sentes, e não te preocupes, a minha irmã só te levará quando eu cumprir a minha tarefa. Segues para o café da avenida, vais-te encontrar com os amigos de longa data que já não vês desde que a doença se apoderou de ti. Estão lá todos, de sorriso esperançoso. Contas-lhes a tua decisão. Eles aplaudem e dizem que estarão sempre lá. Perguntas-lhes pelo teu marido, ex. marido, corriges. Eles confessam-te que já é pai, porém, está mal. Está com uma depressão. Uma súbita compaixão e saudade correm no teu sangue. Concluis o café. E tens a certeza que tens os melhores amigos de sempre.

            Sais à noite, todos os dias. Esta noite é desenhada por mim. Sentes uma brisa quente a chegar-te ao rosto. Olhas a lua cheia e as estrelas brilhantes. E sorris distraída pela rua fora, na esperança de divertimento. Há duas semanas que te privas de medicamentos, só tomas compostos naturais, e sentes-te bem. A tua casa cheira a vida. Dormes bem, não tens dores nem pesadelos. E sorris pela rua fora. E vês. Vês o homem que chorava gritos, gemidos e grunhidos no hospital. É ele, é ele a alma que tu desejaste salvar quando deixavas pela última vez a tua segunda casa. Está mais novo, está limpo e aprumado. E vês o seu olhar vago perdido na rua. Não sabes quem ele é. Ou o que é. Sentes que ele te preenche só de o olhares. Vês nele a vida que nunca tiveste. Está sentado num banco no parque e olha o vazio. De vez em quando vês uma lágrima teimosa correndo-lhe o rosto. Nem sequer repensas. Corres para ele na noite vazia e iluminada. E sentas-te ao lado dele e proclamas: "procurei por ti uma vida."


música who by fire - leonard cohen

publicado por naná às 18:56 | link do post | comentar

15 comentários:
De Felícia a 19 de Novembro de 2010 às 19:32
Tão lindo :O
***
Pois, também os portugueses só conhecem a mealhada (letra pequenina) por causa da comida, do vinho e das doidas que andam de biquini em pleno Inverno, no carnaval -.-  São todos labregos, é o que é...
***
Oh, ele depois também disse "bom dia", depois de se ter enganado e ter dito em espanhol (-.-) mas o que conta é a intenção ^^


De summer wright a 19 de Novembro de 2010 às 19:38
magnifique! cada vez melhor.


De Magda a 19 de Novembro de 2010 às 20:12
Fabuloso, fabuloso mesmo! :)
Beijinhos


De mudou a 19 de Novembro de 2010 às 20:39
sim também gosto mt dessa :)
e eu apaguei aquele post e fiz outro nao sei porque, por isso nao consigo ver o que tinhas comentado.


De Magda a 19 de Novembro de 2010 às 20:44
O contacto de amizade entre eu e ele, não sei se é possível, o meu coração alimenta-se da esperança e depois quando o meu cerebro actua, o meu coração desfaz-se. Não sei se é possível. Não sei. Mas sei que acabou,  a nossa história acabou. A dele acabou. Mas a minha ainda não, para mim ainda não está enterrada.
Muito obrigado por tudo, a sério que sim :) mas quem errou fui eu. fui eu que deixei escapar a 'nossa' oportunidade. fui eu. com dois anos atraso. é tempo demais para ele ter esperado. tempo demasiado longo.


De mudou a 19 de Novembro de 2010 às 20:48
ai esquece xDD pensava que tinhas comentado outro post, esquece esquece.


De Magda a 19 de Novembro de 2010 às 20:53
Mas tens a certeza de que erraste? Não sofras por antecipação :)


De mudou a 19 de Novembro de 2010 às 20:54
é complicado.
acham que estou cheia de revoltas e não sei quê e que isso se reflecte em algumas das minhas atitudes blá blá blá


De Catherine a 19 de Novembro de 2010 às 20:58
assim o farei (:


De mudou a 19 de Novembro de 2010 às 20:59
são muitas coisas.. enfim isto não anda muito famoso por estes lados, mas eu não quero falar sobre isso. obrigada pela preocupação de qualquer das maneiras (:


Comentar post

mais sobre mim
Labrinth feat. Emeli Sande - Beneath Your Beautiful
arquivos

Abril 2013

Novembro 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Dezembro 2011

Setembro 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010