Terça-feira, 14 de Dezembro de 2010

eras o único amigo que eu tinha. o único que não queria me abraçar. o único que me distraía.

ao fim de tanto tempo juntos já falávamos por olhares. mas não. não te perdoarei nunca a tua tentativa de suicídio. não. nunca te perdoarei quando me berraste em frente aos meus amigos e me perguntaste que idade eles tinham. nunca te perdoarei as mensagens possessivas que me mandavas e me mandaste antes de te tentares matar. durante muito tempo eu julguei que a culpa tinha sido minha, magoava-me tanto, não dormia. mas agora? agora sei que quem errou foste tu. que me tomaste como tua. que me assumiste como tua propriedade. temos pena meu caro, temos pena. "não és só a minha priminha, és mais do que uma irmã, és a única coisa que tenho, não me podes deixar." não te respondi sequer e vomitei. não suportava. não suportava a relação de dominância que tinhas para comigo. pensas que eu não me apercebi de que querias saber a minha rotina? não sou tão parva assim. agora, agora que sobreviveste com um milagre muito grande, eu não restarei ao teu lado como a tua mãe, minha tia me pediu. não restarei porque eu destruí tudo o que era quando recebi a noticia do teu suicídio; eu vivi com a culpa inusitada em mim por tua causa; eu abstraí-me de tal modo da realidade que consegui tirar 15 a português. e não, nunca te perdoei teres-te suicidado por eu simplesmente escolher ir. em vez de ficar.



publicado por naná às 20:53 | link do post | comentar

14 comentários:
De summer wright a 14 de Dezembro de 2010 às 21:11
isso também não funcionava comigo. 


De Yohanan a 14 de Dezembro de 2010 às 21:25
este texto aparenta ser um texto forte, mas acho algo estranho, o quinze a portugues..lol


De B. a 14 de Dezembro de 2010 às 22:02
muito bom ;)


De narmy. a 14 de Dezembro de 2010 às 22:11
lembras-me tanto uma amiga minha pelas tuas descrições e pelas coisas que passas.
não que as vossas histórias sejam completamente iguais, mas acho que ambas sofrem ou sofreram um dia pelas mesmas coisas; pelos vossos pais, pela vossa beleza, por alguém obcecado em vocês. acompanho-a sempre e conheço - de fora, claro - aquilo por que estás a passar. muita força.


De Cristiana a 14 de Dezembro de 2010 às 22:16
é sempre mau perdermos alguém muito próximo. 
adorei o seu texto. (peço desculpa pela invasão) 


De mudou a 14 de Dezembro de 2010 às 22:26
geez


De Yohanan a 14 de Dezembro de 2010 às 22:47

..adoro esta musica"!


De Bonnie M. a 14 de Dezembro de 2010 às 23:08
Bem, que situação... Ainda para mais sentiste-te culpada por algo de que não tiveste culpa alguma...!
Relações de possessividade nunca dão bom resultado. 
Mas ele morreu ou sobreviveu? Fiquei um bocadinho confusa.
Ainda bem que já superaste isso tudo. O melhor mesmo é manter-nos o mais afastados possível desse tipo de pessoas, pois possuem problemas muito complicados que podem chegar a afectar-nos.
Beijinhos, querida naná*




De lostdreams a 14 de Dezembro de 2010 às 23:12
:)
pois quando comprei tambem vi la mais pequenos e fiquei indecisa sobre qual comprar, mas depois optei por este , assim dura mais tempo xD.
pois, acredito que sim. acho que vou gostar de escrever nele :)
beijinhos


De magddaleine mademoiselle a 15 de Dezembro de 2010 às 18:00
tenho uma curiosidade com o texto...mesmo que não perdoa, deixou de amar essa pessoa?
ficarei muito grata com sua resposta!
beijos


Comentar post

mais sobre mim
Labrinth feat. Emeli Sande - Beneath Your Beautiful
arquivos

Abril 2013

Novembro 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Dezembro 2011

Setembro 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010