Terça-feira, 28 de Dezembro de 2010

Quando era pequena morava na terrinha. Atrás de mim tinha um pantanal. Era lá que as corujas e os animais nocturnos viviam.

Eu passava lá as tardes, enterrava-me, inventava histórias sobre piratas. Mas durante a noite? Nem para lá olhava. Tinha tanto medo. Tinha medo de que as histórias que eu inventava se tornassem reais, durante a noite.

O meu quarto ficava virado para esse mesmo pantanal. E eu todas as noites adormecia com o barulho da coruja. Dizia-se na minha terra, que quando a coruja pia alguém a Norte dela morre. E eu vivia na crença de tal.

Até que ela não piou, e constou-se que ela tinha piado a Sul de mim. Quanto terror andava pela minha rua.

Todos beijavam os campos, amavam os animais. Lavaram-se as roupas das arcas, os casacos de inverno. E fingia-se que se tinha ouvido a coruja como normal. Viviam todos na agonia de serem os próximos a morrer, proibiram-se as crianças de ir brincar no pantanal. E matou-se o melhor porco. Comeu-se e ligaram-se as luzes da rua. Os maridos beijaram as mulheres. As mulheres beijaram os filhos. Os irmãos fizeram as pazes. E ninguém fechou os dois olhos durante a noite.

De manhã felicitaram aos Deuses a vida. E na minha casa chorava-se a morte. Vestimos o luto. Bradamos aos Deuses. E foi-se à Igreja pedir que se tocassem os sinos de morte. Duas vezes que era uma mulher.



publicado por naná às 21:00 | link do post | comentar

16 comentários:
De lostdreams a 28 de Dezembro de 2010 às 21:21
ah, pois não tinha percebibo.. oh pois abrem, não percebo porquê, e não gosto nada :x
ainda só li um boadinho ..

beijo


De Emy a 28 de Dezembro de 2010 às 21:22
de nada e muito obrigada :)
e eu ao teu, gosto imenso do teu blog, foi o teu pior ano :/ ?

beijinhos *


De Beatriz a 28 de Dezembro de 2010 às 21:26
que queridaaa :)
fiz agora um mesmo quando disseste isso, mas não está nada de especial, tanto como os outros não estão :o


De mudou a 28 de Dezembro de 2010 às 21:30
eu gosto sempre tanto do q escreves :)


De Adriana Gonçalves a 28 de Dezembro de 2010 às 21:41
adorei o post (; escreves muito bem parabéns.
beijos *


De Cath a 28 de Dezembro de 2010 às 21:58
gostei deste texto .


De summer wright a 28 de Dezembro de 2010 às 22:16
arrepiante e fantástico.


De Beatriz a 28 de Dezembro de 2010 às 22:22
andei algum tempo ausente do blog, mas vou começar a meter mais textos :b
mas foi engraçado, vi o teu comentário e tinha mesmo acabado de por o texto, identificas-te com ele :o ?


De . a 28 de Dezembro de 2010 às 22:42
que morreu?


De naná a 4 de Janeiro de 2011 às 14:41

a minha avó. materna :)


De sibyl duerr a 28 de Dezembro de 2010 às 22:59
as vezes a superstição tem a sua razão de ser.
beijinho


Comentar post

mais sobre mim
Labrinth feat. Emeli Sande - Beneath Your Beautiful
arquivos

Abril 2013

Novembro 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Dezembro 2011

Setembro 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010